Sunday, December 31, 2017

de uma tragada só

se ainda fumasse, diria que vou ali comprar cigarros, e desapareceria para sempre.

ficam pra trás os amores, os projetos semi-conclusos, as cagadas e os acertos, os cortes e os esparadrapos, o éter e o vinho, as maçãs e as jacas, os jipes e as pirambeiras. mas dívidas não, que não as tenho. nada mais me aflige. mas peraí, uma exceção: os cães e gatos dos quais sou dependente, ao contrário do que dizem eles ser.

pensando bem, fica para o ano que vem.

até o último cão ou gato. então, ano velho que já morreu, ai vou eu remorrer de novo.

Friday, December 29, 2017

aos amantes

magritte - the lovers


bom, creio que o amor é algo mais ou menos assim. você só descobre que ele existe - falso ou verdadeiro - quando caem as máscaras. até lá, tudo é paixão.

Wednesday, December 27, 2017

aos olhos das crianças

  1. enquanto crianças, todos temos os olhos de gogh (pintura de 1888). mas crescemos, a grana turva nossas vistas, e perdemos o verdadeiro senso da realidade. pra continuar com seus olhos, o miserável gogh pagou um preço ainda mais alto do que os obtidos por suas telas.
  2. nós, relativizamos isto falando, claro, de dinheiro, afinal, um van gogh custa os olhos da cara.

    Saturday, December 23, 2017

    poemeto nas coxas


    umbigo de mulher é fonte! 
    descendo, para qualquer dos lados, espeleologia ou diga caving.
    subindo, é montanhismo. e nuca, cume com + nuvens q monte de vênus. 
    e ainda tem os olhos e a boca onde na face norte o beijo te assalta bem debaixo do teu nariz.
    e pimba! não segurou? num triz é o créu,lá embaixo o quente frio do calafrio, membro cabeça e corpo que retesa solta e aperta tal qual num adeus cheio de tesão.
    pra subir de novo? ab ovo? meia hora na base da gemada. bebido com clara e tudo, devidamente reforçado por um x-tudo.

    Tuesday, December 19, 2017

    sem motivo aparente


    de que adianta falar de motivos, às vezes basta um só, às vezes nem juntando todos. josé saramago

    Sunday, December 17, 2017

    in memorian

    parafraseando monet: você é a minha obsessão, meu divertimento e meu tormento de todos os dias (poupem suas cabecinhas. estou falando d´um cão meu).

    Friday, December 15, 2017

    "mãos de pianista"


                                   
                                            Terça Maior e Terça Aumentada

    - você tem mãos de pianista.

    não me lembro onde, nem me lembro quando, sequer me lembro quem.
    mas, lembro bem da frase, da sonoridade daquela voz delicada, quase um acorde dissonante, de tudo que estava acostumado a ouvir, quando, raro, alguém me dizia algo agradável. soou diferente. um quase elogio, uma declaração de interesse, uma nota de paixão? não sei; mas tocou-me com uma terça diminuta, muito embora me sentisse tentado a chamar de terça aumentada, aquelas mãos delicadamente quentes sobre as minhas que ao serem escaneadas portaram-se como mãos tolas e perdidas, que não deram ouvidos aquela predição ou seria perdição?  - você tem mãos de pianista.

    só posso dizer que tentei, honestamente, tentei. muito.